sábado, 21 de novembro de 2009

"Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, nossos tempos e nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro."

Rubem Alves


*


Milhares de coisas poderiam ter dado errado. E mesmo dando, ainda se encontraram. Porque é assim: a vida trata de nos ensinar que destino não se faz, ele o faz pra si. E fios de eternidade se enrolam pra nunca mais soltar. Eles só não sabiam que os mesmos fios os entrelaçavam desde sempre.
Ela andava assim, protegida da vida. Cabeça erguida, pele de titânio, invergável. Ele, matematizando cada milímetro de si. Aos olhos de todos, e deles mesmos, era inconcebível a ideia de tal encontro. Mas aconteceu.
Foi numa tarde. E o céu não parecia mais belo que qualquer outro dia. O universo conspirava a favor deles, só não podia deixar assim tão claro. Mas se eles tivessem reparado bem, teriam visto no sol um sorriso-de-canto-de-boca, daqueles tímidos, que escondem segredos.
Primeiro notaram a mesma nuvem, depois o mesmo sorriso-cúmplice, o mesmo olhar que se continha e, enfim, o mesmo silêncio. Depois disto não tinham mais lembrança alguma. Uma zona de silêncio os unia.
*
Que meus fios de eternidade enrolem nos teus, que é pra gente não saber mais com que pernas seguir.


Branna Lorenna

Um comentário:

  1. Jesus!! Que lindo, Branna!!!
    "Porque é assim: a vida trata de nos ensinar que destino não se faz, ele o faz pra si."

    Adorando esse espaço aqui, moça!!
    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua semente. É ela que enche de flores este lugar!
Obrigada pela visita! ^^
Seja sempre bem vindo ao Jardim.