quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

pequena homenagem a pequena grande idealizadora furta-colorida!




bem Branninha isso aqui é pq tú merece!
e eu tô com tanta saudade que não pude resistir
juntando tu com o Vinícius de Moraes o mundo parece perfeito!

"Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica..."

Vinicius de Moraes


[off: mais uma vez eu e meu "eu te amo mas não espalha"!]

2 comentários:

  1. é piegas eu sei mas fazer o que seu eu te amo?

    ResponderExcluir
  2. Ouun, Pâaam...
    vc quer eh me matar, eh!?
    Amei, minha sequóiaa!
    amoo tu!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua semente. É ela que enche de flores este lugar!
Obrigada pela visita! ^^
Seja sempre bem vindo ao Jardim.