quarta-feira, 16 de dezembro de 2009


Seus dedos tocavam-se. Si sustenido. Transcorriam cada uma daquelas teclas monocromáticas. Alcançavam notas invisíveis. Era um som único. Arrisco até mesmo dizer que era 'divino'. E de si saia uma luz, uma cor... Agora um Sol. Enquanto isto havia o ballet de suas mãos, numa delicadeza de dar êxtase. Seus olhos conversavam cada símbolo daquela partitura. E em mim acontecia algo novo, um borbulhar de sentimentalidades. Mi. Ela nem desconfiava, mas acabara de musicalizar uma nova vida.

Para Hadassa Lorrayne.

Branna Lorenna

Um comentário:

  1. Que lindo... Se eu fosse sua irmã teria orgulho de vc tb! rs
    :)
    Beijokas :*

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua semente. É ela que enche de flores este lugar!
Obrigada pela visita! ^^
Seja sempre bem vindo ao Jardim.