domingo, 19 de dezembro de 2010

Ausência



Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.


Carlos Drummond de Andrade
A Verdade



A porta da verdade estava aberta,
Mas só deixava passar
Meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
Porque a meia pessoa que entrava
Só trazia o perfil de meia verdade,
E a sua segunda metade
Voltava igualmente com meios perfis
E os meios perfis não coincidiam verdade...
Arrebentaram a porta.
Derrubaram a porta,
Chegaram ao lugar luminoso
Onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
Diferentes uma da outra.
Chegou-se a discutir qual
a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela
E carecia optar.
Cada um optou conforme
Seu capricho,
sua ilusão,
sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade

sábado, 18 de dezembro de 2010

No momento em que eu menos tinha fé, Deus te colocou na minha vida, e foi como se tudo voltasse a florescer coisas boas. Foi esperança brotando pra tudo quanto é canto.
Você é, com certeza, meu maior presente. Já nem me atrevo a pedir muitas coisas a Deus, acho mesmo que agora devo estar devendo a Ele.

Branna Lorenna

domingo, 12 de dezembro de 2010

Cata as tristezas esparramadas no tapete da sala e as devolve ao céu, em forma de estrelas. Ela pisca e vê uma estrela. Ela pisca e vê um vaso de flores. Cada piscada é uma flagrada de um universo bonito. Porque ela sabe é por beleza nas coisas.


Cris Carvalho
E aprendi que se depende sempre

De tanta, muita, diferente gente
Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas

E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar

É tão bonito quando a gente pisa firme
Nessas linhas que estão nas palmas de nossas mãos
É tão bonito quando a gente vai à vida
Nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração


Caminhos do Coração - Gonzaguinha