terça-feira, 19 de julho de 2011

"E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E que entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz: A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida."

 **
Só pra lembrar que "todo Jardim começa com uma história de amor"... E é dela que ele continua vivendo!
Um trabalho incrível!!
É tudo assim, de encher os olhos... a alma e o coração!
Vale a pena conferir!!!

http://agustinawoodgate.com



segunda-feira, 18 de julho de 2011

"Quem me vê caminhando na rua, de salto alto e delineador, jura que sou tão feminina quanto as outras: ninguém desconfia do meu hermafroditismo cerebral. Adoro massas cinzentas, detesto cor-de-rosa. Penso como um homem, mas sinto como mulher."

Trecho de Divã - Martha Medeiros

sábado, 16 de julho de 2011

escrevo
porque poesia é canto
e meu eu, lírico.
Branna L.
Poeisa é voar fora da asa.
Manoel de Barros
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
Cecília Meireles

Escrevo para descobrir o verbo essencial.
Eu quero o verbo essencial.
A rosa,
As pétalas em chamas,
A essência da rosa.
Escrevo para entrar em êxtase,
Escrevo para ver Deus.

Quero escrever um poema tão mal feito
Que só Deus para consertar.
Um poema tão sem sentido
Que só Deus para me dar a chave.
Um poema do abismo
Que só Deus para me salvar.
Um poema que me anule, absolutamente.
Na folha branca, na pedra fria,
Só o absoluto de Deus. 
Poética Essencial - José Carlos Brandão

quarta-feira, 13 de julho de 2011


Trago em mim uma borboleta voando:
nos céus azuis da minha mente,
nos oceanos do meu coração,
nas flores tatuadas sobre minha pele,
polinizando a essência das minhas emoções!
Siga-me!
E, eu lhe mostrarei
o vôo das borboletas



Helen De Rose

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Não se admire se um dia
Um beija flor invadir
A porta da sua casa
Te der um beijo e partir

Fui eu que mandei o beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que eu não te vejo
Ai que saudade de ocê